7 de maio de 2012

Eleições na Grécia


A Troika vê-se grega: derrotada em votos pela revolta da população

Sobre as eleições na Grécia, ainda não há informações detalhadas e seguras. Uma coisa é certa: os partidos que apoiam a troika saíram fortemente penalizados (em especial o Pasok e ND) tendo perdido mais de 40% de votos. 

O Syrisa, que se diz "radical de esquerda", conseguiu ascender graças às suas promessas de que iria renegociar o acordo com a Troika. Será assim? Muitas dúvidas pairam sobre esta coligação. 
   
Estas eleições decorreram num ambiente de grande divisão dos partidos, (32 concorrentes) e sobre uma forte atemorização dos trabalhadores em situação muito difícil, causada pelos setores ligados ao poder económico. 
Também a lei eleitoral grega é muito peculiar pois dá 50 deputados extras ao partido mais votado, sem corresponderem à percentagem de votos. Este facto permite que os orgãos de comunicação estejam já a referir-se à uma vitória da direita que na realidade não corresponde à votação dos eleitores. 

Na realidade a esquerda garante uma grande subida de votos.

A vitória previsível da ND (direita) é conseguida com menos de 19% de votos e representa uma queda enorme dos seus apoiantes (menos 12%). 
O PASOK (socialista que estava no governo) perdeu cerca de 28% de votos, devendo ficar com cerca de 16% muito próximo do Syrisa. 
O Syrisa (esquerda radical) parece ser a segunda força mais votada. 
O KKE (comunista) parece ter uma ligeira subida podendo ser o 4º mais votado do conjunto de 32 partidos que concorreram.