15 de março de 2012

Corrupção em Portugal (3)


Os portugueses não devem esquecer o exemplo da Islândia. A submissão paga-se caro.


A comunicação social em Portugal escondeu o que se passou na Islândia. Adivinhem porquê.
(Ver texto de 25 de Março de 2011). 

Em dois referendos os islandeses recusaram o pagamento das dívidas dos bancos.
Após isso a União Europeia teve que renegociar a dívida, baixou os juros e alargou os prazos. 

Mas os islandeses quiseram ir mais longe: Punir os responsáveis pela crise e pela especulação financeira dos bancos.


Na Islândia os responsáveis são criminalizados

O parlamento islandês foi obrigado a processar por "negligência" o antigo chefe do Governo, que liderava o país na altura em que o sistema financeiro islandês entrou em colapso (Outubro de 2008).
Para julgar Haarde, foi criado um tribunal especial, o Tribunal Superior de Justiça.

Sigurdur Einarsson, presidente executivo dum dos grandes bancos da Islândia, foi preso. Outros podem estar na calha.


Em Portugal a direita no poder faz as leis para "safar" os amigos corruptos.

Em Portugal os responsáveis ganham eleições e fazem leis para impedir a prisão dos corruptos. Leis de corruptos para corruptos. Como disse o entrevistado da SIC, em Portugal, é como se pedisse aos assaltantes de bancos para estudar a segurança dos bancos que assaltam. Ver aqui:
http://www.youtube.com/watch_popup?v=RNr1eOhA4qE


Na Islândia os Presidentes dos Bancos que criaram a situação, foram presos e arriscam-se a uma pena de pelo menos oito anos de cadeia, bem como à confiscação de todos os bens a favor do Estado e ao pagamento de grandes indemnizações. 


Islândia: A Alternativa valeu a pena!

De acordo com estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI), a Islândia vai fechar 2011 com um crescimento do PIB de 2,5%, prevendo-se novo crescimento de 2,5% para 2012 – números que representam quase o triplo do crescimento económico de todos os Estados-membros da UE. A taxa de desemprego no país vai ainda descer para os 6%, contra os actuais 9,9% da zona euro.

Nem as agências de rating conseguem ignorar os efeitos positivos das decisões políticas e reconhecem: "A economia da Islândia está a recuperar... e voltou a um crescimento positivo depois de dois anos de contracção severa".


A luta pela soberania vale a pena. Mas em Portugal o povo parece não ter acordado

Na Islândia o povo tem vindo a ganhar e os banqueiros e políticos que levaram à crise estão a ser julgados.

Em Portugal, há mais de cinco anos que o PCP tenta que se aprove uma lei que criminalize a corrupção e os crimes económicos ilícitos. A política de direita do PS, do PSD e CDS-PP tem rejeitado essas propostas. 

Apesar da continuada oposição do PS, foi conseguido um acordo com o PCP, PEV, BE, e maioria do Governo (PSD/CDS) para uma lei que, embora não suficientemente eficaz, abre caminho para a criminalização da corrupção. Contudo, o Presidente da República, o tal dos negócios do BPN, que já nos levaram mais de 8.000 milhões, resolveu não a ratificar sem um parecer do Tribunal Constitucional. Deve estar a dar tempo para a fuga dos que ainda cá estão. E são muitos.