8 de dezembro de 2012

Manifestação no Porto "Contra o Orçamento"


Foi, como se esperava, uma grande manifestação

Muitos milhares de trabalhadores, reformados e desempregados compareceram à chamada da CGTP para dar mais um empurrão a este governo ilegítimo.

A Moção aprovada no final mostra o sentimento das populações:

"Decorrido um ano e meio de Governo do PSD/CDS, o país está mais atrasado no seu desenvolvimento, mais endividado e dependente, mais desigual, e menos democrático. Portugal está, hoje, muito pior".
(...)
O chamado “memorando de entendimento” assinado entre o PS, PSD e CDS com a tróica estrangeira – autêntico programa de exploração dos trabalhadores e empobrecimento do povo e do país – é o principal instrumento que os grupos económicos e financeiros têm utilizado para desferir um ataque sem precedentes aos [trabalhadores]...
(...)
O Orçamento do Estado para 2013 intensifica e amplia o ataque do Governo em todas as frentes,
(...)

A política de direita é uma política criminosa. Sob o plano expressamente anunciado da “refundação” do papel do Estado, o Governo anseia por atingir o objectivo supremo do grande capital económico e financeiro, que é o de subverter o regime democrático (...) a extinção de autarquias, no quadro de uma enorme ofensiva contra o Poder Local Democrático, bem como a destruição das Funções Sociais do Estado.
(...)
É um imperativo nacional prosseguir o combate sem tréguas contra esta política que subverte os ideais, direitos, liberdades e garantias constitucionais, princípios fundamentais que enformam uma sociedade Democrática, Solidária e Progressista. 
(...)
A CGTP-IN, exorta todos os trabalhadores a intensificarem a acção reivindicativa nos locais de trabalho, condição necessária e decisiva para defender os direitos e melhorar as condições de trabalho; alargar o campo da luta mais geral contra a promulgação ou aplicação das medidas gravosas contidas no Orçamento do Estado...
(...)
Hoje, aqui no Porto, no dia 15 em Lisboa, todos os dias nos locais de trabalho, vamos:
Defender os Direitos! Defender Abril! Defender um Portugal de Progresso, Solidário e Soberano!