31 de outubro de 2012

A política na net (1)

O que a censura na Comunicação Social não deixa dizer

A Internet tem sido um meio para denunciar muita coisa que não é dita na comunicação social. É certo que se dizem Verdades e Mentiras. 
Há que aprender a separar o trigo do joio. 
Não podemos acusar a Internet de dizer mais mentiras que os meios de comunicação ao serviço do poder económico. 
Na Internet a liberdade de expressão permite o debate, permite a expressão do contraditório, coisa que não acontece na comunicação social que nos manipula e asfixia com as suas opiniões formatadas de acordo com os interesses que a comandam. Mesmo os debates televisivos são uma fraude. Predominam os Programas de PRÓS e PRÓS. Na sua maioria não são ouvidas as opiniões da esquerda. As ALTERNATIVAS a esta política são escondidas. 
Na Internet quem quiser pensar aprende. 
A Internet permite ainda a expressão da criatividade crítica. 
Da Internet vou retirar exemplos.

António Borges: "os empresários portugueses são completamente ignorantes"



Professor que deforma mentalidades.
Palhaço porque representa o que não assume. 
Defendeu o aumento da Taxa Social Única, TSU, para os trabalhadores e a redução para as empresas.
Um dos homens do Goldman Sachs que nada produz, ganha fortunas e quer reduzir os salários de quem trabalha.
Quem é António Borges?
São estes os exemplos dos defensores da política de direita.