16 de maio de 2012

Desemprego continua a aumentar


Governo finge que não percebe e diz mostrar-se preocupado

O INE (Instituto Nacional de Estatística) revela que o desemprego atingiu os 14,9 %.
O Governo diz que é uma surpresa e uma preocupação. Contudo sabemos que não é surpresa pois tem sido alertado para esse resultado da política de direita que há anos é a opção dos governos da Troika (PS+PSD+CDS-PP). Vejam-se os dados apresentados pelo PCP, na Assembleia nda República que Passos Coelho desmentiu.


Mas o mais grave é que esses números não correspondem à realidade que é muito pior.
A LUSA, como se tivesse descoberto a pólvora, indica que "a taxa de desemprego para Portugal poderia ter disparado para 17,9 por cento" ou, mesmo para 21,5 por cento.
Explica o comunicado da LUSA que "a diferença resulta de, aos 819,3 mil desempregados “oficiais”, a realidade crua da rua associar 202,1 mil inativos disponíveis e 203 mil portugueses em situação de subemprego visível".


A RTP informa que "os cálculos da contabilidade que escapa aos livros do Governo foram feitos esta tarde pela Agência Lusa". Assim o número de desempregados ultrapassou "a barreira do milhão (1.021.400)" ou mesmo "de 1.224.400". 


Há meses a CGTP informou que o número de desempregados tinha ultrapassado o 1.200.000 e recentemente já tinha alertado que era mais de 1.220.000.


O Governo tem sempre desmentido estes números na procura de iludir a realidade.


Os números do Governo são também desmentidos pela Comissão Europeia, que anunciou uma taxa de desemprego para Portugal de 15,3 por cento.