22 de dezembro de 2011

Um ano de c de...

Em 22 Dez 2010

com esta nota
C de Começar. Criado no primeiro dia de Inverno de 2010...
e esta fotografia


comecei este blogue C de...
Faz hoje um ano.
O contador de visitas iniciado em 1 de Janeiro deste ano, marca agora 42100.
Foram certamente menos os "curiosos" que espreitaram estas páginas. Foram, certamente, menos ainda os que voltaram e se mantiveram fieis leitores. Mas, mesmo assim, são muitos a que espero corresponder às suas curiosidades.


Aproxima-se o dia de Natal. Festa originalmente pagã, destinada a celebrar o nascimento anual do Sol no solstício de inverno (natalis invicti Solis), e adaptado pela Igreja Católica no século III d.C.,
O solstício de inverno, no calendário atual ocorre normalmente por volta do dia 22 de dezembro no hemisfério norte e 21 de Junho no hemisfério sul e a festa solar do natalis invicti (natividade do sol inconquistado) era celebrada em 25 de dezembro e era a festa mais popular em muitas culturas. Festa que marcava o inicio de um novo ano solar e a nova actividade agrícola.


Em muitas localidades do Nordeste Transmontano as festas de Natal reproduzem as originais pagãs de louvor à Mãe Natureza. A Fogueira do Galo, e outros rituais solsticiais e de Ano Novo decorrem durante doze dias. Os jovens mascaram-se e ritualizam o caos da morte do dia que antecede o novo ano com a vitória dos dias a crescer. 
A Festa dos Rapazes, durante dois dias, os rapazes solteiros comandam a vida na aldeia. Os dias que começam a ficar mais longos, para os rapazes, significa também a passagem para a idade adulta. 
Os "caretos", criaturas estranhas vestindo trajes bizarros, com chocalhos e fitas penduradas, exibem máscaras diabólicas. Dançam, pulam, rodopiam e fazem grande algazarra, simbolizando o caos. Mas a Luz vence as Trevas. O Sol e a esperança renascem. Começa um novo ano. 
O que é novo supera o que é velho. É a dialética da vida.