1 de dezembro de 2014

Os Muros continuam

PSD e CDS, com o apoio do PS nas autarquias, estão a distribuir moções sobre o Muro de Berlim

Goebbels, o propagandista de Hitler, defendeu que: "Uma mentira repetida mil vezes, acaba sendo uma verdade ..." Nas últimas semanas, a direita em Portugal, seguindo as orientações provenientes do imperialismo europeu e americano, lançaram uma campanha sobre o Muro de Berlim, que está a prosseguir. 
Grandes cadeias privadas de televisão, em particular as dos EUA, estão a difundir essa campanha que tem o objectivo combater o apoio aos movimentos populares que crescem, para construção de alternativas socialistas ao capitalismo. Têm também o fito de desviar as atenções da crise capitalista e o aumento da exploração que está a arrastar para a miséria muitos milhões de pessoas. 
Muro que separa os EUA do México e as mais de 6.000 cruzes de mortos

A essa campanha é associada a falsa ideia da "morte do socialismo" que " o capitalismo é o fim da história" e que  portanto não vale a pena lutar por uma nova sociedade". 
Essa campanha é emotiva, procura apoiar-se em preconceitos e falsas ideias, fugindo a uma análise séria da realidade. Porquê? Vamos ver:
a - Esconde que foi o capitalismo (EUA, França e Inglaterra) que dividiu a Alemanha que criou a fronteira em Berlim, contra a posição da URSS.
b - Esconde as razões que levaram ao muro de Berlim, Inventam-nas.
c - Oculta a situação social a que foram conduzidos os povos depois da "Queda do Muro".
d - Omite as intenções do imperialismo que levou à queda do Muro, a dissolução do Pacto de Varsóvia e a expansão da NATO a todo o Mundo e em especial às fronteiras com a China e Rússia, reprimindo pela força militar as pretensões de povos se auto-determinarem. A NATO é hoje o braço armado do imperialismo que explora mercados e matérias-primas dos países. Um claro exemplo é a Ucrânia onde apoiaram as organizações nazis, derrubaram pela força o Governo eleito e substituíram-no por uma ditadura pró-nazi. (Recordemos o abate do avião) Exemplo que se repete em dezenas de situações na América Latina, em África e no Médio Oriente.  
e - Encobre os quase 18 mil quilómetros de muros que os países capitalistas estão a construir para isolar povos. Exemplos: Faixa de Gaza, México/EUA, Coreia do Sul, Ceuta e Melilla, Irlanda do Norte, Arábia Saudita, etc, etc.
f - Esconde os muitos milhares de mortos que o capitalismo fez nas outras tantas tentativas de os passar. Só no muro do México os americanos, mataram mais de 6.000 pessoas. Em Berlim morreram 136. 
g - Oculta que, para além dos 7.500 quilómetros já construídos, estão em perspectiva mais 10.000 entre os quais o que o presidente ucraniano Poroshenko pretende ao longo da fronteira com a Rússia, e com a ajuda da Alemanha.
De muitos outros muros poderíamos falar e que se ergueram depois da queda do Muro de Berlim, como os já referidos e na Eslováquia para isolar 14 bairros ciganos, os do Chile, impedindo a passagem de pobres para áreas ricas, já para não falar de muros invisíveis que segregam as pessoas no "dia a dia", na sua vida de trabalhadores explorados.

O texto contêm vários links que reportam a textos mais completos.