13 de maio de 2012

Cavaco e memória curta

A propaganda da direita e a memória curta

A intensa campanha ideológica da direita, noticiários, comentadores contratados, "jornalistas" comprados e o aparelho de estado ao serviço desta ideologia, esquece o que tem sido a política da direita que interrompeu o 25 de Abril para o destruir.
De um amigo recebi este "avivar de memória" para os que têm memória curta.
"Em 1980 Cavaco Silva, então ministro das Finanças, 
Sobe os gastos orçamentais, valoriza o escudo, aumenta as importações. O défice das transacções correntes sobe de 5% do PIB em 1980 para 11,5% em 1981 e 13,2% em 1982. A dívida externa aumenta de 467 milhões de contos em 1980 para 1199 milhões em 1982. Perante o descalabro, em 1983, o novo governo da AD sobe as taxas de juro 4 pontos e vende 50 toneladas de ouro para financiar as contas externas. O desnorte é total.
 Desmantelamento do sector das pescas, silvicultura e da agricultura em Portugal, a troco de "ajudas" financeiras da UE. A maioria dos agricultores e pescadores passaram a receber para não produzirem, para arrancarem árvores (vinhas, oliveiras, árvores de fruto, etc.) ou abandonarem a sua actividade piscatória, contribuindo desta forma para o aumento da dependência alimentar de Portugal de países como a Espanha e França.
Entrega de toneladas de ouro do Banco de Portugal a uma empresa norte-americana que terminou na falência, uma operação conduzida por Cavaco Silva e o ministro Tavares Moreira." 
A "Europa Connosco" de Mário Soares agradeceu!