28 de outubro de 2011

As medidas para salvar... quem?

O G20 e a Cimeira


O G20 é o grupo das principais potências desenvolvidas e emergentes. Assume-se líder da política económica no mundo, ainda que, no seu seio tenha economias muito distintas.
Na sua última reunião antes da Cimeira da UE, os ministros e banqueiros centrais dos 20 "exigiram" ao seus parceiros europeus, as medidas para resolver a crise e evitar "contágios".


Tentando ler nas linhas e entrelinhas do que foi divulgado, concluo que as medidas, segundo os interesses do grande capital financeiro, são, entre outras:


a) sacar dos paises que os "mercados" considerem em dificuldade, o máximo de vantagens, aumentando ou reduzindo as suas notações, conforme convenha, para que o negócio dos juros seja mais lucrativo. Se necessário dar mais alguma erva à vaca para que esta não morra e dê mais leite.


b) reduzir até onde for possível os direitos dos trabalhadores, para tornar ainda mais acentuada a exploração.


c) Dar ao FMI, um papel mais importante na execução destas políticas.


d) Que os sacrifícios pedidos aos povos permitam capitalizar os bancos para que tenham acesso suficiente a financiamentos, e assim prosseguirm na sua prática especulativa. A recapitalização da banca europeia, está estimada entre €192-228 mil milhões (segundo um estudo de Constantin Gurdgiev) e €275 mil milhões, segundo contas do Morgan Stanley divulgadas pelo Financial Times.


e) Fazer participar os países emergentes (porque os desenvolvidos estão falidos) com excedentes nas suas balanças, para evitar uma nova recessão, nos países desenvolvidos, associada ao pânico financeiro.


É o que a Cimeira decidiu fazer a que o nosso Governo obedece.