26 de agosto de 2011

A mentira tornada regra

Goebbels se cá voltasse, sentir-se-ia um aprendiz de contra informação


Goebbels, Ministro da Propaganda de Hitler, dizia, "uma mentira muitas vezes repetida torna-se verdade".


Esta guerra, da invasão da Líbia, tem vários objectivos mais ou menos escondidos:
- A posse do Petróleo, numa altura em que escasseia e de grave crise económica dos EUA e paises capitalistas. 
- O saque dos depósitos de milhares de milhões de dólares da Líbia.
- A renovação dos stoks de armamento e os lucros da indústia da guerra.
- O ensaio de novas armas de guerra, nomeadamente cibernética (aparelhos telecomandados entre outros).
- A afirmação de poder dos EUA e seus aliados, destruindo as leis internacionais e os valores civilizacionais.
- O ensaio de novas técnicas de manipulação das consciências, da lavagem massiva dos cérebros através de uma rede de difusão de informação de propaganda que vai muito para além do controlo das Televisões e Jornais. 
Não é por acaso que o novo "conceito estratégico" da NATO, aprovado em Lisboa, para além do seu alargamento a todo o mundo, contempla o controlo e a "guerra" na Internet.


O controlo da Informação, as mentiras e contradições


Basta estarmos atentos para verificar a sucessão de mentiras transmitidas por todos os meios, televisão, jornais, Internet, comentadores contratados, figuras públicas dos regimes e acções de propaganda e de impacto como o reconhecimento do "governo" dos rebeldes.


Há meses que se diz que Kadafi não tem o apoio popular. Contudo os países da NATO recusaram a sua proposta de fazer referendos ou eleições.


Apesar de a NATO ter afirmado que a "guerra humanitária" seria breve e para criar uma zona de exclusão aéria evitando que a aviação Líbia matasse civis, o facto é que já lá vão 6 meses de contínuos bombardeamentos, não da aviação Líbia mas da NATO.


Bombardeamentos diários para abrir caminho aos "rebeldes"


Apesar dos meios poderosos dos países invasores e da NATO (EUA, Inglaterra, França), apesar de "Kadafi não ter apoio popular" não chegaram 6 meses de ataques, mais de 20.000 surtidas, bombardeamentos pelos navios de guerra dos EUA no Mediterrâneo, ataques com aviões telecomandados, nada disso chega para vencer o "ditador" que nem aviação utiliza. 


É também estranho que um "ditador odiado" distribua cerca de 2 milhões de armas pela população. Pelos vistos essas armas não se voltam contra ele, mas contra os invasores, a ponto de permitirem resistir a tão poderosos meios da NATO.


Jornalistas presos em Tripoli


Há dias foi noticiado que, após intensos bombardeamentos da capital para abrir o caminho aos "rebeldes" estes controlam 95% de Tripoli. Foi festejada a vitória (dos "rebeldes", contudo foi a NATO que teve o papel principal). Prepara-se um novo governo. 
Tem sido noticiado que, entre outros, continuam presos os jornalistas, Mahdi Darius Nazemroaya e Thierry Meyssan, no centro de imprensa do hotel Rixos (em Trípoli).


A televisão e a imprensa controlada pelos invasores, têm dito que são as tropas de Kadafi que os mantêm presos. Mas afinal quem controla a cidade?


É preciso procurar a verdade


Michel Chossudovsky, director da globalresearch, informou que Mahdi estava a trabalhar em relatos factuais e honestos, preocupando-se com as vidas humanas, homens, mulheres e crianças que perderam a vida em bombardeios em áreas residenciais, escolas e hospitais. Isto não agradou aos invasores (NATO e CIA) e Mahdi acabou por ser ameaçado por dizer a verdade, por expor os crimes de guerra da NATO.


Mahdi, Thierry e vários outros jornalistas independentes estão presos no Hotel Rixos. Afinal quem tem interesse em os manter presos? 


Diz Michel Chossudovsky, que "as ameaças eram muito explícitas". Aqueles que dizem a verdade são ameaçados. Os que mentem e aceitam a informação da NATO, estarão protegidos. 


A hipocrisia a mentira e a inversão dos valores humanos 


Estamos a ser enganados na forma mais desprezível. As vítimas da agressão da NATO são designados como "criminosos de guerra", enquanto os autores de guerra são os libertadores.


A mentira tornou-se a verdade "oficial", Mahdi, não tendo aceitado essa "verdade" tem a vida ameaçada.
De acordo com a NATO, a guerra é paz, os bombardeamentos são para salvar vidas. "Matar é um esforço de pacificação".


As realidades são viradas de cabeça para baixo, dificultando a capacidade de pensar. As pessoas tendem a acreditar no que a maioria e os poderosos dizem.


Regresso à Idade Média.


Segundo Michel Chossudovsky, as técnicas e conceitos da Inquisição voltam a ser aplicados: O carácter "humanitário" e a "Responsabilidade de Proteger", são os argumentos para desencadear uma guerra. 
Esta é uma guerra do século XXI, é uma guerra que afirma não ser uma guerra, é uma "ajuda"! Portanto, todos os protocolos e convenções relativas à guerra não se aplicam.