6 de março de 2011

O sonho e a vida

Morreu Alberto Granado. Não morreu o sonho dos jovens que ousaram transformar o mundo.


A notícia que vi, recordou-me com alguma nostalgia as cenas do filme do Diário de Che Guevara quando em 1952, dois jovens argentinos, Ernesto Guevara (Gael García Bernal) e Alberto Granado (Rodrigo de la Serna), partiram numa viagem de estrada  de 8 meses e 8 mil quilómetros, para descobrir a verdadeira América Latina. Ernesto era um jovem de 23 anos estudante de medicina especialista em leprologia, e Alberto Granado, que agora morreu, tinha 29 anos, e era bio-químico. Partiram da Argentina cheios de sonhos e um romântico sentido de aventura. Os dois amigos deixam os seus confortáveis ambientes familiares e em cima da moto de Alberto, uma Norton 500 de 1939, a "La Poderosa" e depois à boleia, viveram a realidade dos povos por onde passaram, convivendo com as pessoas que procuraram ajudar. Os dois amigos tornam-se como irmãos, unidos pela crença no progresso e no que a ciência e a medicina poderiam fazer pelas pessoas.




Perante as realidades que viveram nesses 8 meses os dois jovens questionaram o valor do progresso que é definido por sistemas económicos que deixam tantas pessoas na pobreza extrema e as oprime. As suas experiências despertam neles os homens que irão ser. Ernesto e Alberto ousaram transformar o seu sonho em realidade para mudar o mundo. E mudaram.