9 de dezembro de 2011

Ainda a Líbia

Aprender com a História
 
Só hoje vi uma crónica de Timothy Bancroft-Hinchey no Pravda.Ru, mas não é tarde para citar e comentar alguns parágrafos.
 
Começa o cronista por perguntar: "que "ditador" educa o seu povo de forma gratuita, envia estudantes para universidades no exterior, inclusive nos países que foram endemicamente hostis ao sistema Jamahiriya (governação direta das comunidades de pessoas), que "ditador" dá casas ao seu povo de forma gratuita, que "ditador" dá cuidados de saúde gratuitos, que "ditador" lhes dá 50% do preço do seu primeiro carro, que "ditador" distribui a riqueza do país diretamente para as contas bancárias de seu povo banco?" Em texto que publiquei aqui perguntava também "que ditador distribui armas pelo seu povo?" Que ditador resistiria a oito meses de bombardeamentos e ataques diários de mercenários fortemente armados se tivesse o seu povo contra ele?"
 
Diz depois o articulista que a NATO sabe bem que "que quebrou todas as regras na Líbia, que violou os termos do seu mandato, que violou as resoluções do CSNU, que violou a Carta das Nações Unidas, que violou os termos de Convenções de Genebra". A NATO Sabe bem que "cometeu actos terroristas na Líbia atacando estruturas civis com equipamento militar, destruindo sistemas de abastecimento de água, as fábricas que fabricavam tubos para repará-los, bombardeando a rede elétrica, interferindo nas comunicações, bombardeando escolas, centros de saúde e hospitais, assassinando civis com helicópteros".
 
Mais adiante numa imagem futebolística diz a NATO "não foi capaz de atingir seus objetivos, seguindo as regras... você não ganha uma partida de futebol por atacar os oponentes com metralhadoras e granadas e depois encher o campo com 50 jogadores".

Qual o resultado desta guerra e como é a situação atual?
 
"O resultado é que as tribos rejeitam apelos da Al-Qaeda, salafistas e xiitas fundamentalistas, que constituem os ratos, e o resultado é que os ratos... não entram no sul da Líbia, para além da faixa costeira". Os Tuareg e tribo Warfallah considera os ratos como inimigos.
 
"Tajoura, Tarhouna e Bani Walid estão sob controle Verde (Jamahiriya), porque as pessoas querem viver no sistema Jamahiriya e não querem ser controladas por gangs de terroristas e seus mestres estrangeiros que pretendem desviar o petróleo da Líbia". "Benghazi quer ser independente de Trípoli, Misratah quer se tornar independente de Tripoli, Derna quer ser independente de Tripoli," as Brigadas Misratah ameaçam atacar Tripoli.
 
Ver em http://english.pravda.ru/opinion/columnists/06-11-2011/119534-indictment_nato-0/