10 de outubro de 2011

O expoente máximo das desigualdades

Onde meia dúzia de multimilionários têm mais que 90% da população
 
Estados Unidos: muitos pobres e poucos muito ricos


Cinco décadas depois de criado o Programa Social nos Estados Unidos, mais de 46,2 milhões de pessoas vivem na pobreza total, 15,1% da população nacional.
 
As famílias sem habitação aumentaram em 50% em algumas cidades, e 38,4 milhões recebem cupons de alimentação - mais que em qualquer momento dos últimos 50 anos.
 


Para as estatísticas de Washington, consideram-se pobres as pessoas que são parte de famílias de quatro pessoas cujos rendimentos não superam os 22.314 dólares (16.600 euros) anuais.
 
Economistas da Universidade de Columbia discordam dos critérios que são utilizados para avaliar a pobreza real. Contudo, economistas conservadores advertem que uma mudança na fórmula provoca um aumento da pobreza, o que poderia levar a um aumento inaceitável no custo dos programas federais e estatais de serviço social.
 
O desemprego de 9,1% afeta toda a nação.

Fonte: Prensa Latina