22 de outubro de 2011

Cinismo e descaramento

Obama: Khadafi e Iraque demonstram liderança americana renovada

O presidente Barack Obama disse que a morte do antigo líder líbio Muammar Khadafi e a retirada militar total das tropas americanas do Iraque até ao final do ano evidenciam a renovada liderança da América no mundo.

«Esta semana, tivemos dois poderosos lembretes do quanto renovámos a liderança Americana no mundo», disse Obama na sua mensagem semanal à rádio.

Para o presidente norte-americano, os sucessos da política externa americana fazem parte de uma história maior.

Diário Digital / Lusa 

A política do quero posso e mando

Quando Barack Obama se candidatou a presidente, muitas pessoas tiveram esperança numa nova política de Paz e entendimento com os povos do mundo. Obama foi nomeado Prémio Nobel da Paz. Porém, cedo se verificou que toda a sua campanha foi uma fraude. A base de Guantánamo continua torturando, os soldados estado-unidenses continuam no Iraque e no Afeganistão, sempre com a intensificação dos crimes sobre civis. Os tribunais especiais e militares, prendem, acusam e julgam sem direito a defesa. Os suspeitos são torturados sem provas de qualquer crime. Invadem países soberanos sempre que lhes apetece, como no Paquistão. 


A recente a invasão da Líbia, as ameaças ao Irão, à Síria e a todos os povos que não se submetam aos seus interesses mostram a verdadeira face de Obama e da política de norte americana. Apesar de alastrar a fome nos Estados Unidos, das condições de vida do povo estarem a ser degradadas a ponto de gerar revoltas cada vez maiores, os orçamentos militares aumentam, assim como os orçamentos da CIA e de muitas organizações que têm por missão gerar conflitos, dissidências e matar governantes eleitos, nos países alvo da política imperialista americana. As guerras são um negócio que matam e destroem as vidas de muitos milhares de pessoas mas enriquecem grandes corporações.
Fomentar o medo e a agressividade, fazem parte da cultura que desde cedo é incutida às pessoas nos EUA. Desde tenra idade que crianças usam armas e são treinadas para matar.

Nas escolas ensinam que os americanos podem tudo e que são superiores aos outros povos, contudo, vivem cada vez pior. 

Pelo discurso de Obama, após a morte de Kadafi, confirmamos o seu lembrete: a "liderança no mundo" foi mais uma vez demonstrada com a guerra na Líbia. Confirmamos também que a história dos EUA é a história dos seus sucessos de guerra, de genocídios, de invasões, de mortes de substituição de governos e de regimes, de apoio a ditadores que sirvam os seus interesses e de morte aos que se lhes opõem.