17 de setembro de 2011

Onde está o 25 de Abril?

Ministro da Educação considera importante reduzir o investimento na Educação!


Ao ler esta notícia do DN, "Crato considerou o fecho de escolas uma "coisa importante", anunciada "há muito" e justificada "por razões pedagógicas e racionalidade económica".
Questionado sobre as prioridades na redução da despesa, respondeu que cortaria "em todo o lado, mas não no essencial", especificando: "Não podemos continuar com este ritmo de investimento da Parque Escolar" recordei com saudade os tempos de entusiasmo e grande vontade popular logo após o 25 de Abril de 1974. 
Não havia dinheiro para nada mas, Comissões de Moradores, populares, trabalhadores das mais diversas profissões, apoiados pelas autarquias democráticas, tomaram nas suas mãos a construção de Escolas, Parques Infantis, Creches e muitos outros equipamentos que tanta falta faziam às localidades. 
Estávamos todos a aprender a "Democracia Participativa". Coisa que a direita, o poder económico nunca perdoou e, ao fim de ano e meio, conseguiram suster. Pare eles o risco de não voltarem a ser poder era grande e, por isso, recorreram a todas as manobras.

Hoje, o Ministro da Educação, não esconde que o seu objectivo é "fechar escolas" e "reduzir o investimento" na Educação. Triste e degradante missão para qualquer responsável, mas ainda mais humilhante para um Ministro "da Educação". 


Como referi ontem, Portugal é um dos raros países onde a Educação tem vindo a reduzir os já fracos investimentos. 
Com esta política, a Educação, tal como a Saúde e tudo o resto, é para quem tiver dinheiro para pagar no Privado. 

Ainda que se tente esconder, a este sistema político de classe, da classe dominante, exploradora e por isso com dinheiro, chama-se uma ditadura. Neste sistema impingem-nos que há Liberdade, pois toda a gente pode ter o que quiser (desde que tenha dinheiro). Há liberdade para comprar a liberdade.