14 de dezembro de 2014

São todos iguais? Quem?

A estratégia da direita: "são todos iguais"

Quando a direita já não consegue esconder a corrupção, os roubos, as vigarices, características da sua forma de actuar e dos seus mentores que enriquecem, toca de espalhar por aí "são todos iguais".
Assim se todos roubam, se todos, são vigaristas, quer a direita dizer que roubar é um defeito humano, que ser vigarista é normal. São todos iguais. 
E, sendo assim, como se uma infelicidade que provém do Adão ter comido a maçã, nada há a fazer. E, ser nada há a fazer o melhor é ficar tudo na mesma. 

Vem isto a propósito da notícia do jornal «Público» sobre alegados donativos do BES/Novo Banco à Festa do «Avante!».

Sabe bem o «Público» que mesmo que muitos dos seus leitores desconfiem de tal notícia, ainda por cima mal feita, vale a pena mentir. Isso vende jornais e há sempre quem acredite. Vai daí e publica em grande título:  "BES aprovou donativo de 11 mil euros proibido por lei à Festa do Avante!". Ora toma!

Quem acreditaria que Ricardo Salgado era tão amigo dos comunistas para lhes dar 11.000 euros?

Agora, pergunta-se:

Que jornalismo é este que, apesar dos desmentidos e não tendo confirmação da acusação publica tal notícia?

Que jornalismo é este que apesar dos desmentidos e "não tendo conseguido contactar com o BES" para confirmar a notícia, a publica mesmo assim?

Que jornal é este que deixa publicar esta notícia mesmo tendo recebido a informação da Entidade das Contas, diz, que esta entidade «limitou-se a responder que “se houve ou tivesse havido donativos de pessoas colectivas, a entidade teria imediatamente feito uma queixa-crime ao Ministério Público”».

Que jornalista é esta Maria Lopes que na resposta da Entidade das Contas diz "limitou-se a responder"?.
O que quer esta espécie de Jornalista dizer com "limitou-se a responder"?

Creio que os leitores do jornal Público, quando lêem as suas noticias devem reflectir bem no que estão a ler.

Vítor Dias no seu blogue, mais uma vez denunciou estas manobras do "nosso" jornalismo.

Conclusão: Coitados dos jornalistas ao serviço da direita que se esforricam à procura de um caso, nem que seja inventado, para encontrar nos comunistas algum pecado. A direita quer que o povo acredite que são todos iguais. Mas, nem todos são iguais. Infelizmente a lista dos crimes da direita, já vai muito longa.