21 de dezembro de 2014

Portas e os submarinos

É ditadura ou democracia uma minoria enganar a maioria?
E se essa classe no poder, depois de eleita, fizer as leis que impedem a sua condenação?

Paulo Portas roubou a Portugal e aos portugueses mais de 15 milhões de euros. 

O despacho do Ministério Público (MP), que arquivou o processo, reconhece as vigarices que Paulo Portas fez e que levou ao roubo a todos os portugueses.
As investigações mostraram as ilegalidades, mas essas ilegalidades não foram crimes (de acordo com a lei, feita para defender ladrões).
Não se pode chamar roubo ao "desvio" de mais de 15 milhões de euros?

Se o despacho do MP reconhece os factos, mas considera que o processo tem que ser arquivado, então o que está em causa é o sistema político de gatunos que, para se defender, aprova leis que impedem os tribunais de actuar.

É a isto que se pode chamar "democracia"? 
Democracia porquê? Porque o povo votou neles confiando que não eram gatunos. E, o povo ao votar neles permite que eles façam as leis. Mesmo que sejam contra a Constituição. 
O Presidente da República que tem o dever de fazer cumprir a Constituição, também foi eleito pelos portugueses. Portanto isto é tudo uma democracia.

Voltando aos submarinos e aos factos provados

É um facto provado que Portugal e os portugueses foram roubados.
Na Alemanha os que venderam os submarinos foram condenados. 
O Tribunal e MP reconhecem as responsabilidades e as ilegalidades de Paulo Portas. Confirmam que Paulo Portas “excedeu o mandato” que lhe foi conferido.
O MP verifica que, Paulo Portas celebrou um contrato de compra diferente dos termos definidos na adjudicação.
Diz, as negociações “decorreram de forma opaca”.
Confirma que foi detectada “a violação de princípios e normas de natureza administrativa”.
Diz que houve a "incúria", "negligência" e "falta de cuidado pelo bem público". 

Mas, a somar a isto, e apesar das responsabilidades, da negligência, da incúria, da violação dos princípios, do desaparecimento de mais de 15 milhões de euros, o Paulo Portas continua no Governo (Vice Primeiro Ministro). 
Este governo confirma que é um bando de criminosos chamados "irresponsáveis", forma legal de não irem todos presos como foi Sócrates (por enquanto).

Como estamos numa democracia e os eleitores votaram neles, (para fazerem as leis) os portugueses, para além de aceitarem ser roubados ainda vão pagar milhões aos advogados que os defendem, para que todos fiquemos com as consciências tranquilas e o "PROCESSO ARQUIVADO".