26 de outubro de 2014

O papel da Comunicação Social

Em vésperas de eleições no Brasil a Revista Veja publica na capa difamação a Lula e Dilma

É conhecida a permanente "desinformação" feita pelos órgãos de comunicação social dominados pelos grandes grupos económicos. Mais uma vez, a revista Veja, nas vésperas das eleições no Brasil, lança, em grandes parangonas e na capa, acusações graves e sem provas a Dilma e a Lula. Pretendeu a revista favorecer o candidato da direita. Apresentada queixa em Tribunal, a revista foi obrigada a publicar o desmentido da candidata Dilma.

Também em Portugal, como na generalidade dos países, as grandes cadeias de difusão de notícias, aproveitam as grandes e pequenas coisas para mentir, para desinformar os seus leitores, sempre a favor das ideologias de direita por que se regem os seus patrões. Muitos jornalistas que ainda têm ética e se recusam a colaborar nessa política, são sistematicamente colocados na prateleira, afastados ou não conseguem que os seus artigos sejam publicados e, se ganham à peça, o trabalho não lhes é pago. É a censura moderna.  

Tudo combinado

Militantes do PSD Brasileiro distribuíram cópias da capa da "Veja" em frente ao metro em São Paulo. O PT acusou a Editora Abril de ter antecipado a distribuição da revista com o intuito de influenciar os eleitores em vésperas do segundo turno da eleição presidencial. 
A reportagem de capa da revista insinua que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam conhecimento do esquema de corrupção da Petrobras.
Militante do PSDB distribui fotocópias da Capa da Revista Veja (FotodeVermelho)

O “direito de resposta" concedido, obriga que a Editora Abril S.A insira imediatamente no sítio eletrónico da Revista Veja na internet (www.veja.com.br) o seguinte texto:

“A democracia brasileira assiste, mais uma vez, a setores que, às vésperas da manifestação da vontade soberana das urnas, tentam influenciar o processo eleitoral por meio de denúncias vazias, que não encontram qualquer respaldo na realidade, em desfavor do PT e de sua candidata.

A Coligação "Com a Força do Povo" vem a público condenar essa atitude e reiterar que o texto repete o método adotado no primeiro turno, igualmente condenado pelos sete ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por terem sido apresentadas acusações sem provas.

A publicação faz referência a um suposto depoimento de Alberto Youssef, no âmbito de um processo de delação premiada ainda em negociação, para tentar implicar a Presidenta Dilma Rousseff e o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva em ilicitudes. Ocorre que o próprio advogado do investigado, Antônio Figueiredo Basto, rechaça a veracidade desse relato, uma vez que todos os depoimentos prestados por Yousseff foram acompanhados por Basto e/ou por sua equipe, que jamais presenciaram conversas com esse teor”.

É claro que essa correção, apenas minimiza o mal causado, dado que não é a mesma coisa uma publicação em papel profusamente distribuída com apoio dos militantes do Partido da Social Democracia Brasileira PSDB e o desmentido na Internet.

Nota às 12.00 horas de hoje:
Por consulta ao sítio da revista Veja verifico que a decisão do Tribunal não foi cumprida. Continua a ser dado destaque à capa da Revista, com a difamação, e o desmentido que o Tribunal obrigou a que fosse feito com o mesmo destaque está escondido!
É assim o comportamento da direita!