25 de outubro de 2012

Incompetente ou vendido?


Vítor Gaspar: "Existe aparentemente um enorme desvio entre o que os portugueses acham que devem ter como funções do Estado e os impostos que estão dispostos a pagar".

Não senhor Ministro! O desvio existe sim mas nos gastos que o Estado está a fazer para pagar aos Bancos privados. Nos negócios que o senhor e o seu governo faz.

O senhor ou é incompetente e uma vez que se reconhece responsável pelos desvios verificados nas contas do Estado, e deveria de imediato demitir-se, ou está a defender os interesses de quem nos rouba, contra os interesses dos portugueses e, nesse caso é um vendido, um traidor.

Negócios e fraudes

Eu explico. O senhor Ministro, retira aos portugueses o dinheiro do Estado para pagar aos BPN os roubos feitos pelos seus colegas. Mais de 6.000 Milhões de euros, endividando o Estado. 
Pede financiamentos aos Bancos privados a juros especulativos, endividando ainda mais o Estado. Capitaliza os Bancos com o nosso dinheiro. Depois critica os portugueses de exigirem ao Estado mais do que pagam de impostos. Contudo, não acusa os que gerem e roubam o Estado.

O senhor Ministro para emagrecer o estado vende o que é lucrativo e fica com o que dá prejuízo. Bons negócios para os privados. Depois queixa-se dos portugueses que não querem pagar duas vezes por serviços que deveria ser o Estado a prestar. 
Pagamos para o Estado e pagamos para os privados porque os serviços foram vendidos por si. Veja-se o que se passa com as PPP. 

Sempre os mesmos a pagar. Sempre os mesmos a lucrar

O senhor Ministro está a taxar as empresas que poderiam promover o desenvolvimento da economia. Mas não taxa os Bancos privados, que exportam o nosso dinheiro para os offshores, para os paraísos fiscais. 

O senhor Ministro nunca fala das fugas aos impostos das grandes grupos económicos, mas persegue os pequenos e médios empresários e os trabalhadores. Sempre os mesmos a pagar.

Nunca ouvi o senhor Ministro reclamar dos juros escandalosos que os bancos privados nos estão a cobrar pelos negócios que o senhor e o seu governo com eles faz, mas reclama por os portugueses não quererem pagar mais impostos.



Senhor Ministro. Está com Deus ou com o Diabo?

O Senhor Ministro não é um imbecil que atire atoardas sem motivo. O senhor Ministro acusa os portugueses para justificar o mau Ministro que é. Não por ser incompetente mas por estar do lado dos que nos exploram.
O povo sabe que não é possível estar com Deus e com o Diabo ao mesmo tempo. Pois o senhor é um mau Ministro porque é um bom defensor dos tais credores, dos bancos, dos especuladores, dos agiotas. É o povo que lhe paga mas são os seus amigos, chamados credores", os agiotas, que ganham com a sua actividade como Ministro de Portugal. 

O senhor Ministro não é gestor nem negociador, é um vendedor do seu país

O senhor ministro sabe, apesar de fingir não saber, que a o dinheiro dos impostos que os portugueses pagam para os serviços que o Estado deveria prestar, está a ser desviado para os Bancos, para os juros, dos negócios que com esses bancos faz. Está a ser desviado para os negócios ruinosos das Empresas Público Privadas. Desses o senhor Ministro não se queixa.

Porque é que eu não oiço o senhor ministro acusar esses que nos roubam e oiço queixar-se dos portugueses que lhe pagam? 

Se o senhor Ministro estivesse numa empresa, se fosse encarregado de negociar com os credores e se fizesse o mesmo que está a fazer aos portugueses, levava a empresa à rápida falência caso não fosse demitido a tempo. 
Qualquer empresário, qualquer gestor, sabe bem que negociar com os credores não é dar-lhes mais do que é possível para o pagamento da dívida. 
Os credores também sabem que o seu negócio é um risco e que não devem exigir mais do que é possível.
Negociar é encontrar o equilíbrio entre os justos interesses de ambas as partes. 
O senhor Ministro, a negociar com credores é um fracasso. Uma completa incompetência para não ter que o julgar de traidor, de vendido, pois está a vender Portugal e a dar o dinheiro que não é seu aos especuladores.

Senhor Ministro, tenha um pouco de dignidade, demita-se urgentemente. Não viu que, apesar desse seu ar de sonso, para os portugueses está já desmascarado o seu papel no Governo?


(alterado c/ subtítulos às 11.45h.)