25 de maio de 2011

Uma entrevista curiosa

Conversa com um reformado esclarecido.


Uma jornalista da Rádio da Terra, (RT), entrevista o presidente da Associação de Reformados, o senhor Sousa. A Conversa foi a seguinte:


RT - O senhor Sousa é o presidente da Associação de Reformados cá da Terra e certamente conhece bem os problemas dos reformados.


Sousa - Eu faço por isso. Leio muito. Mesmo quando estamos a jogar às cartas procuro ir conversando sobre os nossos problemas.


RT - Então está informado sobre a situação do País e da crise económica.


Sousa - Procuro ler ouvir e discutir os assuntos. Mas muitas vezes a televisão e os jornais mentem e só falam no que lhes convém. Tenho que andar a descobrir o que é verdade e o que é mentira.


RT - Mas sabe que todos os partidos se aliaram para fazer cair o Governo.


Sousa - Não foi assim. Não houve nenhuma aliança. Cada partido tinha as suas razões, umas boas outras más. É preciso saber destrinçar as coisas. A mim não me enganam com essa de serem todos iguais. Tenho apenas a quarta classe mas conheço a vida e estou atento às manigancias que vão por aí.


RT - Então quais foram essas razões?


Sousa - Os partidos da direita PSD e CDS sempre apoiaram o PS que fazia a política que eles queriam. A única diferença é que cada um quer lá meter os amigos. Mas o PSD e o CDS deixaram o PS queimar-se com a política que eles pretendiam fazer. A menina sabe que há 35 anos são sempre os mesmos a governar? Quando um está queimado, o povo vota no outro, esquecendo-se que o outro já tinha feito o mesmo. Isto é como um balancé. Ora está um em cima e outro em baixo mas não saem do mesmo sítio. O que já está cheio fica mais pesado e vai para baixo ajudando o outro a subir.


RT- Mas o PCP também votou contra o PEC e ajudou a fazer cair o Governo do PS.


Sousa- Sim mas isso foi por outras razões. O PCP sempre votou contra os outros PECs enquanto que o PSD e CDS sempre tinham votado a favor do PS. Desta vez quem votou ao contrário foi o PSD e o CDS. O PCP não se aliou à direita! Porque não me perguntou porque é que o PSD e o CDS desta vez votaram com o PCP? Eles votaram contra o PEC porque ainda queriam pior, como já disseram.


RT - Mas então porque é que o PCP não apoiou o PS?


Sousa - Porque o PCP não é como os outros que umas vezes se aliam a uns e outras a outros. O PCP vota sempre de acordo com os interesses do povo e não para apoiar este ou aquele. O PCP votou contra as propostas do Governo porque eram más. Porque o PEC não é a solução que o país precisa.


RT - Já vi que o senhor é apoiante do PCP. Mas não acha que a votação do PCP foi ajudar a direita e fez cair o Governo?


Sousa - Não! Não acho! Eu tenho cabeça para pensar. Já lhe disse que apesar de ter a quarta classe sei ler e informar-me. Primeiro, o Governo demitiu-se porque quis. Não foi por perder a votação que se tinha que demitir. Depois, o PCP votou contra uma proposta que era errada e injusta pois o PS queria resolver os problemas que criou a retirar mais dinheiro ao povo. Queria mais cortes nos apoios sociais; mais cortes nos salários dos trabalhadores, queria aumentar os impostos. Mas não aos bancos. Queria facilitar os despedimentos. O PCP podia votar a favor disto? O Governo não tinha que cair. O PS podia ter avançado com outras medidas, ou aprovado as medidas alternativas que o PCP propunha.


RT - Mas agora o FMI veio dizer que é preciso fazer esses sacrifícios. E as medidas de austeridade não são tão graves como pareciam.


Sousa - Não é verdade, porque o que eles chamam “ajuda externa”, não vai ajudar nada o país e o povo. É ajuda apenas para os Bancos. Essa "ajuda" vai baixar os rendimentos dos trabalhadores e reformados. Vai entregar aos privados as melhores empresas do Estado e permitir os negócios com os serviços de saúde e outros. Os ricos e os bancos é que vão ganhar. Como é que vamos pagar a dívida com mais desemprego e menos produção. Só se passarmos a não comer. Eu tenho só a quarta classe mas sei o que estou a dizer. Isto qualquer pessoa vê.


RT - Mas o senhor Sousa não acha que este empréstimo a Portugal é uma oportunidade para sair da situação em que o País se encontra?


Sousa - Não! Não é! Dos 78 mil milhões de euros do “empréstimo”, 55 milhões são para os Bancos. Estamos a pedir empréstimos para pagar os empréstimos anteriores e para pagar juros. Eu bem tenho visto o que dizem os economistas que só em juros Portugal terá de pagar, ao fim de 7 anos, mais de 100 mil milhões de euros. Também na Grécia e na Irlanda, eles diziam que era uma "ajuda" e, como já se está a ver, com essa "ajuda" ainda ficaram pior.


RT - Então acha que os três partidos PS, PSD, e CDS que assinaram o acordo com o FMI estão a mentir aos portugueses?


Sousa - Eles umas vezes mentem, outras vezes dizem meias verdades, outras escondem o que vai acontecer. Os trabalhadores e os reformados vão ser muito penalizados. Vão congelar o salário mínimo e diminuir os salários por via da alteração da legislação de trabalho e das horas extraordinárias não pagas.
Vão diminuir todas as pensões e reformas, porque aumentam os impostos e os preços das coisas. Isso não dizem eles.
Aumentar o IVA é o mesmo que diminuir os salários e as pensões, pois as coisas ficam todas mais caras. 
Para os mais idosos vão ainda fazer cortes nos apoios e prestações sociais. Vamos ter que pagar mais taxas moderadoras. Os medicamentos vão ficar muito mais caros. E muito mais que vamos ver.


RT- Mas acha que há outras soluções?


Sousa - Claro que há outras soluções. Mas essas eles não querem. O PCP e a CDU têm propostas alternativas que ajudam os trabalhadores, os reformados e a economia do País. Eu ouvi o Jerónimo dizer na televisão que deveríamos exigir a renegociação da dívida pública, dos seus prazos, dos juros e valores a pagar. Eu sei perfeitamente que quando não posso pagar uma dívida tenho que pedir para a pagar em prestações e em mais tempo. Não posso deixar de comer para pagar a dívida senão acabo por morrer de fome e não pago a dívida. Também sei que se uma pessoa tiver prestações para pagar e estiver desempregado não as pode pagar. Não sei como é que eles querem pagar a dívida sem aumentar os rendimentos e aumentando o desemprego. Com estas medidas vamos produzir menos e vamos ter que pedir mais empréstimos para pagar os empréstimos. Por isso a solução tem que ser ao contrário como diz a CDU. Temos que apoiar as empresas e não os bancos, apoiar a agricultura e as pescas para produzirmos mais e termos mais receitas, em vez de gastar o dinheiro com as compras ao estrangeiro. Onde é que já se viu, termos as terras abandonadas, pessoal desempregado e comprarmos tudo no estrangeiro. Acha que isto tem que ser assim?


RT - Eu creio que isso tem lógica mas porque é que o Governo, o PS, o PSD e o CDS insistem nas medidas de austeridade?


Sousa - Porque são partidos dos grandes patrões que querem aproveitar esta oportunidade para retirar os direitos que os trabalhadores conseguiram com o 25 de Abril. Querem ganhar mais dinheiro à custa dos trabalhadores e do povo em geral. Para eles é mais fácil reduzir salários e aumentar os preços do que obrigar os patrões a modernizar as empresas e criarem postos de trabalho. Aumentando o desemprego eles têm sempre os trabalhadores na mão. 


RT - Mas temos que gastar menos. Os salários têm que ser reduzidos...


Sousa - Eu tenho uma vaca que dá leite. Acha que se eu reduzir a ração para poupar dinheiro e disser à vaca que tem que se habituar a comer menos a vaca vai dar mais leite? Ou a vaca morre ou deixa de dar leite. O que é que eu ganho com isso? No primeiro mês ponho no banco o dinheiro que poupei na ração mas nos meses seguintes já não tenho dinheiro para por no banco e ainda tenho que lá ir buscar o que tinha amealhado. Temos que poupar é nos gastos com submarinos e nos negócios para os amigos, como os das empresas público-privadas.
Não é no que produz que se deve poupar. Se me ajudassem a comprar outra vaca podia pagar o empréstimo desde que os juros não fossem demasiado altos. O país também ganhava pois não ia comprar leite à Itália e a Espanha.


RT - Mas se o PS, PSD e CDS são a maioria e não aceitam as propostas da CDU então não temos outra alternativa.


Sousa - As propostas do PCP e da CDU são realistas e viáveis no interesse do País, dos trabalhadores e das novas gerações. Se o povo não abrir os olhos quem vai sofrer são os nossos filhos e netos. Nas eleições de 5 de Junho o povo pode votar na CDU para mudar esta política. Se a CDU tiver mais votos, o PS, o PSD e o CDS-PP têm menos deputados e não podem fazer tudo o que querem. 


RT - Mas se o País não tem dinheiro, como é que se faz? Onde vamos buscar o dinheiro?


Sousa - O país tem dinheiro. Está é mal distribuido. Os lucros dos bancos foram quase quatro milhões de euros por dia! Por dia! Note bem! A fuga aos impostos das grandes empresas que têm muitos lucros representam milhares de milhões de euros por ano.
Muito desse dinheiro foge do país pela mão desses senhores que dizem defender Portugal. São traidores que vendem o país. Tem milhares de milhões de euros nos bancos estrangeiros. O Governo o PS o PSD e o CDS estão feitos com eles e não aprovaram as leis que a CDU apresentou para os obrigar a pagar impostos sobre os rendimentos. Só o Senhor Amorim mais o Belmiro e o Soares dos Santos, ganham mais que dois milhões de reformados com 227 euros de reforma. Veja bem se o dinheiro não existe. Está é mal distribuído. Viu os milhares de milhões que tivemos que pagar por causa dos roubos feitos no BPN? Não sabemos da missa a metade. E os ordenados de muitos milhares de euros dos amigos do PS do PSD e CDS? Quase 80% dos reformados por velhice e invalidez recebem, uma pensão inferior a 400 euros. São quase dois milhões de reformados. Eu como Presidente da Associação tenho ido a muitas reuniões onde estes assuntos são discutidos. Quase um milhão de mulheres recebem apenas 293 euros por mês. Por isso. mais de dois milhões de portugueses vivem na pobreza. Acha isto justo?


RT - Mas o Governo também reduziu as pensões a partir de 1.500 euros.


Sousa - Em primeiro lugar, quando se fala em pensões elevadas dever-se-á diferenciar as que resultam do trabalho de uma vida e aquelas que têm sido arranjadas por artíficios e fraudes dos amigos do PS, do PSD e do CDS-PP, com valores escandalosos. O congelamento das reformas e os cortes nas pensões a partir de 1500 euros, pode ser injusto se rouba o dinheiro das contribuições de cada trabalhador durante toda a vida. Os que ganham 5.000 e 10.000 euros de reformas acumuladas e que não descontaram deviam ser presos. Mas se um pobre roubar um pão é logo preso. É uma vergonha.


RT - Eu sei que o voto é secreto mas já vi que vai votar na CDU, mesmo que a CDU não ganhe. Porquê?


Sousa - Essa é boa. Voto na CDU por tudo o que já lhe disse. Eu voto no partido que sei que melhor defende os trabalhadores e o país. O meu voto é uma grande responsabilidade para a vida dos meus filhos e meus netos. Não é por mim que estou no fim da vida. Não quero ficar com um peso na consciência de que não fiz tudo o que podia para os defender. O voto é secreto mas não tenho medo de dizer que vou votar no quadradinho do PCP-PEV ao lado do girassol! Eu não me engano!