11 de fevereiro de 2011

E agora? É preciso abrir os olhos!

Como se irá organizar o povo? Com que programa consensual? 


A grande interrogação, para o desenrolar dos acontecimentos no Egito, é a resistência do povo, a sua organização e unidade, para vencer as tentativas, mais ou menos descaradas, de ingerêcia dos EUA, da Arábia Saudita, de Israel e outros ligados à Europa. Tudo isto com as Forças Armadas pelo meio e com capacidade de influir decisivamente no andamento da revolução. Os governos autocráticos que defendem os interesses dos EUA, procurarão por todos os meios, que a mudança de regime no Egito não influencie mudanças, quer na região, quer em relação a Israel e aos palestinianos. Os EUA irão tentar soluções que garantam os seus interesses.


Sabemos bem que Washington e seus aliados, por princípio, apenas consideram "democracia", aceitável, aquela que se conforma aos seus objetivos, estratégicos e económicos, bem domesticada, de acordo com os seus planos.
Para recordar:
http://www.youtube.com/watch?v=Mdzg_dRFgOs