11 de fevereiro de 2011

Os líderes europeus...

Com descaramento e impudor, "os lideres europeus saúdam a decisão de Mubarak".

Com esta declaração, esses lideres, que sempre apoiaram Mubarak, mostram que dão mais importância ao ditador, que tomou uma boa decisão, que ao povo que o obrigou a tomar essa decisão, resistindo até ao fim, até conseguir a vitória. Para eles, como se vê pelas suas caras, foi um mau exemplo, que não deve ser copiado por outros povos. No entanto, confirmando que não foi por respeito ao povo que vêm agora com esse aplauso, revelam com o sorriso amarelo que mostraram na televisão, que também eles foram vencidos pelo povo egípcio. Também, esses lideres, tiveram que tomar a decisão de saudar a decisão de Mubarak, não por respeito aos povos que dizem representar, mas para que não fiquem mais desacreditados pelos seus próprios povos europeus. 


Embora contrariados, não querem reconhecer a vitória do povo mas, a magnanimidade do ditador que tomou uma decisão, que neste caso, segundo a douta opinião desses líderes, consideram que foi boa. Até à última foi o ditador que decidiu. Para esses líderes decidiu quem tinha que decidir. O seu amigo ditador. 


"Saudamos a decisão tomada pelo presidente Mubarak. Ao abandonar o cargo, demonstrou ouvir a voz do povo egípcio e tornou possível a realização de reformas mais rápidas e mais profundas, bem como uma transição ordeira em direcção à democracia", refere a declaração conjunta dos três responsáveis europeus.