9 de fevereiro de 2013

Política de direita soma e segue

Traição e sabotagem económica a Portugal

Anos a fio de entrega da nossa economia às multinacionais culmina agora com Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020 da União Europeia que Portugal aceitou.
Ao contrário do que apregoavam os vendedores de Portugal, a "Europa Connosco" mostra ser o contrário da solidariedade e coesão. Cada vez mais as potencias económicas mandam em Portugal e aquilo a que chamam “ajudas” são a exploração dos nossos já fracos recursos.
 


O presente "acordo" prejudica os países mais debilitados como Portugal e aumenta as assimetrias e as desigualdades no desenvolvimento económico e social na UE.
Os maiores beneficiários das políticas comuns são os que impõem a austeridade e livre concorrência no Mercado Único que eles dominam.


Passos Coelho mais uma vez mente quando se regozija com o Acordo aprovado. A verdade é que Portugal volta a perder, desta vez cerca de 10% (3 mil milhões de euros) de financiamentos da União Europeia. As rubricas mais afetadas são as da política agrícola. Portugal pode perder mais de 500 milhões de Euros no âmbito do desenvolvimento rural e agrícola.