22 de novembro de 2012

1 de Dezembro de 1640


A história que a direita quer esquecer

O 1º de Dezembro é um feriado que foi suprimido. Porquê?
As semelhanças com o que se passa hoje são esclarecedoras.
Os Migueis de Vasconcelos de hoje precisam que esses exemplos não se repitam. 
I
Em 1580 Portugal perdeu a independência com a morte de D. Sebastião. A coroa passou para Filipe II de Espanha. Este, aquando da tomada de posse, nas cortes de Leiria, prometeu zelar pelos interesses de Portugal, dos portugueses, respeitando as leis, os usos e os costumes nacionais. Essas promessas foram sendo desrespeitadas, os cidadãos nacionais foram perdendo privilégios e passaram a uma situação de subalternidade em relação a Espanha

Como é fácil de ver até aqui tudo semelhante ao que se passa hoje.
Mudem-se os nomes, troque-se a Espanha pela Alemanha. 




 II
O povo e muitos fidalgos organizam um movimento revolucionário para recuperar a independência. 
A 1 de Dezembro de 1640, um grupo de 40 fidalgos introduz-se no Paço da Ribeira, onde reside a Duquesa de Mântua, representante da coroa espanhola, mata o seu secretário Miguel de Vasconcelos, atira-o pela janela do Paço.  Assim como previa a revolução, o povo, que aguardava no Terreiro do Paço, só saberia que a revolução tinha sido bem sucedida quando Miguel Vasconcelos fosse defenestrado. 
A revolução de Lisboa foi recebida com júbilo em todo o País. 

Aqui troquem-se os fidalgos pelos pequenos e médios empresários, comerciantes, militares... O povo, esse, é o mesmo. Como se percebe esta é a parte que ainda não sucedeu, mas...
pode ser que o feriado volte em 1 de Dezembro e noutra data.