25 de outubro de 2011

Mais uma vez os EUA isolados

Assembleia Geral da ONU exige fim de bloqueio contra Cuba

A Assembleia Geral da ONU exigiu hoje, terça-feira (25), pelo vigésimo ano consecutivo, o fim do bloqueio norte-americano imposto a Cuba há meio século.
 
Novamente a decisão é da maioria esmagadora de 186 paises. Apenas os EUA e Israel votaram contra.
 
É significativa a prepotência dos EUA e o conluio de Israel. Enquanto Obama afirma que a liderança dos EUA no mundo foi mais uma vez demonstrada nas Guerras do Iraque e Líbia, a Assembleia da ONU e os 186 países mostram que essa liderança apenas é conseguida pela força das armas.
"O dano económico direto contra o povo cubano supera os 975 bilhões de dólares", disse o chanceler cubano Bruno Rodríguez. 
 
A condenação quase unânime dos estados Unidos levou o chanceler cubano a dizer: "É inacreditável o fato de que, 20 anos depois, esta Assembleia continue considerando este assunto" os Estados Unidos persistam no bloqueio pois "nunca ocultaram que seu objetivo é derrubar o governo revolucionário" cubano. 
 
"Por que o governo Obama não se ocupa dos problemas dos EUA e deixa nós cubanos resolvermos em paz e sossegados os nossos"?, questionou.
 
Bruno Rodriguez, afirmou que "O governo de Cuba permanecerá o governo do povo, pelo povo e para o povo. Nossas eleições não serão leilões. Não teremos campanhas eleitorais de 4 bilhões de dólares, nem um Parlamento com o apoio de 13% dos eleitores. Não teremos elites políticas corruptas separadas do povo. Continuaremos a ser uma verdadeira democracia e não uma plutocracia. Defenderemos o direito à informação verdadeira e objetiva".