18 de julho de 2011

Necessidade urgente de auxílio

Notícia da TSF

Meio milhão de crianças africanas à beira da morte por falta de comida

A Unicef alertou para o «risco iminente de morte» de meio milhão de crianças no Corno de África, devido à forte seca que afecta mais de dois milhões de crianças. (Notícia actualizada)

«Meio milhão de crianças sofre de malnutrição severa e está em risco iminente de morte. Precisam de ajuda imediata», alertou o director executivo da agência das Nações Unidas para a infância, Anthony Lake, numa conferência de imprensa na capital do Quénia.

Na Somália, o país mais afectado, um terço da população precisa de ajuda alimentar de emergência, segundo a União Africana

Milhares de famílias somalis passam fome no campo de refugiados do mundo em Dabaad, no leste do Quénia, desenhado para 90 mil pessoas mas habitado por 300 mil.

Lake juntou-se ao ministro britânico para o Desenvolvimento Internacional, Andrew Mitchell, que anunciou no sábado o envio de 60 milhões de euros de ajuda urgente para a Somália, Quénia e Etiópia.

Agora comparemos com as "outras ajudas"

Nato já gastou mais de 1.100 Milhões de euros nos bombardeamentos "de ajuda humanitária" ao povo Líbio

Quem tiver dignidade e consciência que pense e descubra para onde vai o nosso dinheiro! 

Os EUA gastam cerca de 2 bilhões de dólares por semana somente no Afeganistão, o que representa cerca de 104 bilhões de dólares ao ano.

De uma entrevista publicada a partir do Jornal Globo, foram apresentados os seguinte dados:

Catherine Lutz, diretora do Departamento de Antropologia da Brown University e codiretora do projeto “Custos de Guerra”, critica a falta de transparência do governo nas informações sobre os conflitos em Iraque, Afeganistão e Paquistão.


WASHINGTON – Os custos para os Estados Unidos das guerras no Iraque, no Afeganistão e no Paquistão poderão alcançar até US$ 4,4 trilhões, valor bem superior ao US$ 1, 3 trilhão anunciado pela Casa Branca e pelo Congresso americano. O cálculo foi feito por mais de 20 especialistas para o Watson Institute for International Studies, da Brown University – uma das mais tradicionais dos EUA, fundada em 1764 (...).

Até dezembro de 2010, os EUA destinaram mais de US$ 32 bilhões a tratamentos médicos e seguros de invalidez para mais de um milhão de veteranos, um custo que atingirá seu ápice em 30 a 40 anos, totalizando até US$ 1 trilhão, dizem os especialistas. O custo humano dos três conflitos é calculado entre 224 mil e 258 mil mortes diretas, sendo 137 mil vítimas civis no Iraque e no Afeganistão. O número de pessoas deslocadas e de refugiados é estimado em torno de 7,8 milhões.

Um extracto da entrevista:

Qual o significado dos números divulgados por esse estudo?

CATHERINE LUTZ: Uma das coisas que nos surpreendeu foi o fato de ninguém ter feito isso antes. Ter, por exemplo, reunido as estatísticas de vítimas civis e militares nos três países, o que resulta num número bastante chocante, de 225 mil a 258 mil mortes. Outra coisa surpreendente é o governo americano insistir em apontar o valor de US$ 1 trilhão, que é somente uma parte do custo total das guerras. Se olharmos o quanto aumentou o orçamento do Pentágono, e as despesas com tratamento médico e invalidez, o custo da guerra no Departamento de Estado e em outras agências do governo supera rapidamente esse valor oficial.

Como explicar essa diferença?

LUTZ: Politicamente é mais fácil comandar uma guerra se os custos parecem menos elevados para o público. Politicamente é importante apresentar um valor inferior. Há também o fato de que se buscam recursos para travar uma guerra no momento, e não se pensa nos custos que virão no futuro, gastos com saúde e invalidez, por exemplo, estimados entre US$ 600 bilhões e US$ 1 trilhão. Cerca de 2,2 milhões de americanos estiveram em zonas de guerra, e o número de feridos é particularmente elevado em comparação com conflitos passados. (...)

Se no início perguntei para onde vai o nosso dinheiro, pergunto agora, depois dos números apresentados, onde vai Obama buscar o dinheiro para as guerras? e, já agora, quem ganha com estas guerras "humanitárias"?


Fontes:
http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=1911866&page=1
http://www.zwelangola.com/mundo/index-lr.php?id=5403
http://www.beinternacional.eu/pt/noticias/1881-nato-o-que-fazer-com-esta-guerra
http://www.forte.jor.br/tag/custos-de-guerra/
http://www.wsws.org/pt/2011/jun2011/obpt-j14.shtml