18 de março de 2013

Que fazer? Como fazer?

Não basta penalizar os autores desta política. É preciso não cair nos mesmos erros


Portugal foi sabotado por uma política ao serviço dos interesses das multinacionais e monopólios.  Os partidos da política de direita, a toika interna (PS+PSD+CDS), destruíram o que uma guerra seria difícil de conseguir. Entregaram toda a nossa economia ao grande capital estrangeiro (e nacional). Os Bancos que nada produzem, são os grandes beneficiários desta política que vive da especulação financeira.

As privatizações e ataques ao 25 de Abril, iniciaram-se em 1976 com o Partido Socialista (PS) e seguiram-se com os governos PSD e CDS. 
Um dos aspectos mais dramáticos foi a destruição das nossas indústrias (1). Se estivéssemos em guerra os bombardeamentos das fábricas não teriam sido tão eficazes. 
Existem penas pelos crimes de traição à pátria e sabotagem da economia. Um milhão e quinhentos mil desempregados, famílias com o futuro arruinado e crianças a sofrer de fome exigem responsabilidades aos autores de tais destruições. 
Mas, exigem também que o que resta desta democracia, conseguida com o 25 de Abril de 1974, não seja destruído por eleitores inconscientes e cidadão apáticos, que continuam a permitir que a troika PS+PSD+CDS continue no poder a enganar os que ainda andam a dormir. 

Que fazer para acordar os cérebros inconscientes? É uma questão que merece a nossa reflexão e a nossa intervenção activa.

(1) Sobre a destruição da nossa indústria, e as propostas para a sua reabilitação, foi publicado um artigo que é necessário ler (aqui).