19 de abril de 2012

Resultados da política de direita

Da mentira ao silêncio

O governo, depois de desmascarado, por tantas mentiras, parece estar agora, falho de imaginação e prefere não falar. 
Preparam-se às escondidas mais medidas contra os portugueses. Há fortes indícios de manobras do Relvas com dirigentes e eleitos do PSD e do CDS-PP para levarem por diante a Reforma Administrativa para a eliminação de freguesias e alterações da lei eleitoral. Estas conversas, em segredo, só para "amigos", por vezes estendem-se a alguns eleitos do PS a quem são prometidas algumas compensações de cargos.


No mundo do trabalho, também surgem as mesmas táticas como se depreende pela fraude do Relatório sobre as Indemnizações de despedimentos.
Sabe-se que os governos de direita têm que mentir, pois se falassem verdade não seria fácil convencer a maioria dos portugueses (que não defende, mas que diz defender) para ganhar as eleições. Compete aos trabalhadores mais conscientes, denunciar as mentiras e esclarecer os camaradas para que se saibam defender.
Exemplo:



O PCP confrontou o Primeiro-Ministro com a degradação das condições de vida dos trabalhadores e do povo, com os lucros escandalosos que o grande capital continua a realizar. 
Jerónimo de Sousa classificou como "colapso da mentira e da propaganda" as sucessivas medidas que vão sendo tomadas contrariando tudo o que o governo prometeu.