9 de março de 2012

Morte dos idosos

O capitalismo e a sua 
política de direita, 
mata silenciosamente


Como escrevi anteontem, há famílias que não têm condições para tratar dos idosos, outras egoístas esquecem-nos. Estamos numa sociedade do "salve-se quem puder".

Os hospitais registam muitos casos de pessoas de idade que vivem sozinhas. Essas pessoas, sem família, não têm condições para regressar a casa, depois de lhes ter sido dada alta.

Os jornais revelam que "no que toca a protelamentos da alta no Centro Hospitalar Lisboa Norte, em 2011, o principal motivo foi mesmo a indisponibilidade da família para a prestação de cuidados (181 casos). Segue-se insegurança da família para assegurar a continuação da prestação de cuidados, com 125 situações. Entre outros, registaram-se 113 casos de recursos financeiros insuficientes.

Se quer continuar a viver ponha mais uma moeda
 
Nos Hospitais da Universidade de Coimbra - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (HUC-CHUC), o que o serviço social mais recebe são casos destes, de idosos que viviam sós e sem familiares de 1.º grau: "Nesses casos, o ingresso num lar, comparticipado pela Segurança Social, é muito difícil e alguns ficam internados demasiado tempo", diz o Jornal Público.

Também no Hospital Amadora-Sintra, entre os 38 adultos - a maioria idosos - que ainda não saíram do hospital por "motivos sociais", grande parte corresponde a casos de utentes sós, dependentes, e sem família, que necessitam de resposta da Segurança Social, ou, então, idosos que não têm familiares com disponibilidade para cuidar deles. A coordenadora do serviço social, Adélia Gomes, nota que há famílias que não conseguem suportar uma mensalidade num lar particular, que, na área de Lisboa, "têm mensalidades de 1200 euros ou mais" revela também o Público.

Muitos outros exemplos poderiam ser apontados. Com uma política em que o "lucro" tudo comanda e onde a saúde é um negócio, "quem não tem dinheiro não tem direito a nada". No capitalismo, o poder do dinheiro,  encara o ser humano como uma máquina para dar lucro. Quando está velha, e dá prejuízo, deita-se fora.