28 de janeiro de 2012

Acordemos os adormecidos


Não tenho palavras

Não consigo expressar, como gostaria, a indignação que sinto por ver os constantes avanços do fascismo, mascarado de democracia e tanta gente que "lá vai cantando e rindo" inconsciente ás mordaças, às leis, às regras ditadas, às condições sociais que todos os dias nos impõem e que acorrentam as nossas vidas. A "lavagem de cérebros", a propaganda e mentalização tem sido eficaz para que a maioria aceite como bom, ou, no mínimo, como inevitável, o que nos impingem.
Será que conseguem tornar-nos autómatos, máquinas obedientes, sem capacidade de pensar e de ter consciência. Vamos votando de quatro em quatro anos, sempre nos mesmos, acreditando que não há alternativa.

Para quem queira ver um exemplo actual clique (aqui)

A rã que se deixou cozer

É cada vez com mais frequência que me lembro da história verídica da rã cozida(Clique). A tal que metida num tacho aberto com água morna não saltou quando devia e foi "amolecendo" até que quando a água já escaldava deixou de ter forças para saltar.
A miséria que nos impõe é, material, económica e social, mas também cultural, moral, e civilizacional. As pessoas vão aceitando tudo o que lhes enfiam na cabeça. Criticam mas nada fazem. Não reagem para se unir e organizar. Isso dá muito trabalho.
Não acordem, não e depois digam que agora é tarde!



Não esqueçamos a História

Sei que estou a traçar um quadro negro. Contudo tenho a consciência que é real.
Desde o dia 25 de Abril de 1974, que o fascismo espreita e prepara as oportunidades.
Falhou no 28 de setembro, mas minou alguma unidade que existia.
Falhou no 11 de Março mas continuou a sabotar.
Mostrou as suas garras nos ataques bombistas, assalto e incêndio dos Centros de Trabalho do Partido Comunista em muitas localidades.
Preparou o golpe do 25 de Novembro que não foi totalmente concretizado. Desde então paulatinamente começaram a tomar o poder económico e político.
Aos poucos, tal como a água que aquecia a rã, foram destruindo o poder dos trabalhadores.
Criaram a UGT para partir a espinha à Intersindical, expressão da unidade dos trabalhadores.
Destruíram a Reforma Agrária, e depois a Agricultura.
Voltaram a entregar as terras a quem a deixou abandonadas e as foi vendendo ao estrangeiro.
Privatizaram os Bancos e as empresas nacionalizadas, fundamentais para a nossa economia. De seguida os privados venderam-nas ao capital estrangeiro e aumentaram as suas fortunas. Os lucros das empresas passaram a ir na maioria para fora e muitas foram fechadas para dar entrada aos produtos estrangeiros.
Acabaram com a frota pesqueira e a marinha mercante.
A Europa invadiu Portugal, primeiro acenando com a “cenoura” dos subsídios que encheram os bolsos de alguns mas ajudaram a destruir a nossa economia.
Chegou a factura para pagar e o país já não produzia nem tinha dinheiro. Os bancos depois de privatizados, emprestaram dinheiro ao Estado a altos juros, endividando ainda mais o país. Impuseram condições. O poder económico passou a controlar a política colocando nos governos homens da sua confiança.

Lá vamos, cantando e rindo, levados, levados, sim…

O povo anestesiado "lá ia cantando e rindo" votando nos homens da confiança dos Bancos e do poder económico base do fascismo.
Recordemos que foi assim que Hitler subiu ao poder. Também em nome da democracia.
Para não me alongar demasiado, recordemos:


- Aumentaram o desemprego para ter os trabalhadores na mão
- Reduziram salários e pensões.
- Deixaram de pagar horas extraordinárias.
- Cessou a compensação dos dias de trabalho em dias de descanso.
- Aumentaram os preços de tudo o que era serviço social: Saúde, medicamentos, transportes, água, electricidade, rendas de casa, etc.
- Formaram a lei dos despedimentos para aumentar o desemprego.
- Querem aumentar os horários de trabalho apesar de não haver trabalho.
- Criaram a lei dos despejos... Etc. etc.
Na televisão fazem entrevistas a pessoas na rua e passam apenas as que mostram a aceitação e sujeição das pessoas que estão “adormecidas” e rendidas.



O dinheiro não desaparece. Se estamos todos mais pobres, para onde vai o dinheiro ?

Em contrapartida os bancos nunca tiveram lucros tão elevados.
As maiores empresas e as maiores fortunas tiveram um crescimento nunca visto.
Rodearam-se de ministros e membros do governo, boys e administradores de empresas públicas altamente remunerados. O Estado, com o nosso dinheiro, entregou obras e serviços aos amigos.
Aumentou a corrupção. Por isso impediram a aprovação de leis anti-corrupção.
Os tribunais bem controlados, vão deixando cair todos os processos de corrupção e do crime organizado dos poderosos.
Nos órgãos de comunicação, jornais, televisão, colocaram homens de confiança para controlar as notícias, silenciar a esquerda consequente e dar voz a comentadores do "pensamento único" por vezes com alguns disfarces.
Acabaram com os programas que poderiam por os portugueses a pensar de forma diferente.
Destruíram a cultura independente.
Estão a querer matar o Poder Local Democrático, extinguir metade das freguesias, por agora. A outra metade vem a seguir não vá a rã acordar antes de estar sem forças.
Querem acabar com as eleições para as Câmaras e que o Presidente de Câmara escolha os Vereadores da sua confiança (a família).
Rejeitaram as leis anti-corrupção, tal como rejeitaram a proibição da fuga dos impostos para os paraísos fiscais e offshores, mas aumentam as condições para a corrupção partidária entre a “família”.

Estamos no auge da luta de classes. É preciso compreender

Para que se veja a ideologia que está por detrás de todas estas ações atente-se na extinção de feriados da Implantação da República,  5 de Outubro, depois de acabado o do dia da Independência Nacional. Qual será a seguir?
Uma vez que a comunicação social está controlada, quando as coisas se sabem são apresentadas como normais ou, sem alternativas. Conseguiram criar a "inconsciência" de que a “crise”, essa coisa indefinida, é a causa de tudo. Conseguiram fazer crer a maioria dos "adormecidos" que não há nada a fazer. Como Salazar nos “ensinou” a política é para os políticos. Eles é que sabem!
Para rematar, por agora, pois a procissão ainda vai no adro, a Internet que é ainda uma forma de comunicação livre, está a ser há muito controlada secretamente. Agora, depois das secretas e “democráticas” negociações que ninguém conhece, foi feito um "pacto" a que Portugal secretamente aderiu, para controlo da Internet. A motivação é apresentada como para defesa dos direitos de autor. Estamos quase a ficar cozidos. Os que dormem têm que ser acordados!

Segue um vídeo explicativo. Mais tarde darei outras informações.